Assunto: Matérias com Citação da Embrapa
Brasil e EUA se unem para discutir sustentabilidade na produção agropecuária • Portal DBO
Portal Dbo
Notícias
14/09/2023


A Embrapa, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e a Universidade da Flórida (UF) reúnem-se, em Bagé (RS), na sede da Embrapa Pecuária Sul, no dia 18 de setembro, para discutir estratégias de pesquisa em parceria visando a sustentabilidade da agropecuária nos dois países.

O objetivo da iniciativa é promover a cooperação entre as instituições brasileiras e norte-americanas em torno de temas de interesse mútuo, envolvendo estudos relacionados à adaptação às mudanças climáticas e à mitigação das emissões de gases de efeito estufa (GEE) na pecuária, por meio do desenvolvimento de práticas agrícolas sustentáveis que sejam viáveis no Brasil e nos EUA.

Entre as estratégias que serão debatidas está a redução da dependência agrícola por fertilizantes, com foco tanto no desenvolvimento de produtos menos agressivos ao ambiente, como em processos de aumento do uso eficiente de nutrientes do solo usado na agropecuária.

Estudos neste sentido já estão sendo desenvolvidos através de colaboração entre a Embrapa, a Universidade da Flórida, o Serviço de Pesquisa do USDA e o Centro Internacional de Desenvolvimento de Fertilizantes (IFDC).

O projeto, intitulado Fertilize for Life (F4L), deve contar, inclusive, com financiamento do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) e outras agências americanas.

O evento contará com a presença de Michael Conlon, conselheiro para Agricultura dos EUA e representante do USDA no Brasil, e de Carolina Castro, especialista em Agricultura do USDA na Embaixada Americana, em Brasília, além de José Dubeux, professor em Forrageiras e Ciências de Pastagens da UF, que proferirá uma palestra sobre a iniciativa F4L, além de apresentar as principais pesquisas da UF envolvendo os tópicos de mudanças climáticas, mitigação e adaptação à emissão de gases de efeito estufa, com foco na pecuária, e sistemas de pastagens sustentáveis.

O Estado da Flórida e o Rio Grande do Sul possuem características semelhantes quanto aos sistemas pecuários, baseados em pastagens. Nesse sentido, esforços de pesquisa conjuntos podem gerar resultados comuns.

“Esse trabalho em conjunto visa, justamente, lançar o olhar sobre um dos principais problemas globais atualmente, que são as mudanças climáticas. Ao se trabalhar estratégias conjuntas para tornar mais eficiente e sustentável as atividades agropecuárias, estamos buscando tornar os sistemas produtivos mais resilientes, atacando, por exemplo, o problema da emissão dos gases de efeito estufa, mas também é importante pensar que estas estratégias podem diminuir a dependência da importação de fertilizantes no Brasil e EUA”, destacou Alexandre Varella, coordenador do Labex (Laboratório da Embrapa no Exterior) nos EUA e pesquisador da Embrapa.

Com o encontro, espera-se a formação de um plano de trabalho para colaboração em pesquisa (projetos conjuntos, intercâmbio de pesquisadores e estudantes, eventos internacionais conjuntos) entre Embrapa e Universidade da Flórida.

“A expectativa é de que, a partir dos debates e troca de informações científicas, possa haver um alinhamento para novas oportunidades de colaboração, entre as unidades da Embrapa e a UF, no tema de adaptação às mudanças climáticas em sistemas pecuários a base de pastagens que são dominantes tanto no sul do Brasil, em parte do Cerrado brasileiro quanto na Flórida”, completou Varella.

Conforme Marcos Borba, chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento, da Embrapa Pecuária Sul, a visita da comitiva norte-americana e o interesse de cooperação demonstram o alinhamento do trabalho desenvolvido na Embrapa em Bagé com questões atuais discutidas globalmente, relacionadas à sustentabilidade da pecuária.

“O que estamos estabelecendo como agenda de trabalho está bastante alinhado com o que outros países, e no caso países importantes para a pecuária, como é o caso dos EUA, estão também trabalhando. Outro aspecto a ser destacado é a oportunidade de interação e desenvolvimento de trabalhos conjuntos na busca de resultados complementares orientados à promoção da sustentabilidade dos sistemas de produção pecuários nos dois países. Para nós isso é extremamente relevante porque significa uma espécie de certificação da nossa programação de pesquisa, relacionada aos grandes desafios da pecuária no mundo contemporâneo e das oportunidades que temos de estabelecer cooperação com a Universidade da Flórida”, disse.

O público do evento é restrito a convidados e contará com a presença de pesquisadores, professores, cientistas, representantes das Unidades da Embrapa, das Universidades e de outros órgãos governamentais federais, estaduais e municipais, além de lideranças empresariais, jornalistas, órgãos de imprensa e outros grupos interessados no tema.

Currículo do palestrante – Jose Dubeux é professor de Forragens e Ciências de Pastagens na Universidade da Flórida. Reconhecido internacionalmente como autoridade em eficiência no uso de nutrientes em sistemas agrícolas, com ênfase na mitigação e adaptação às mudanças climáticas, emissões de metano da pecuária e sistemas integrados de produção agrícola-pecuária, Dubeux é membro da Sociedade Americana de Agronomia e da Sociedade de Ciência de Culturas da América e Presidente Associado do Departamento de Agronomia da UF.

Em sua carreira, Dubeux e sua equipe já assinaram 695 publicações, incluindo 286 artigos revisados por pares, e orientaram 36 estudantes de pós-graduação.

F4L – Coordenada pelo Labex EUA em parceria com diversas unidades da Embrapa, a UF, o USDA e o IFDC, a iniciativa F4L está em processo de implantação, e busca pesquisar a eficiência no uso de fertilizantes e nutrientes do solo em resposta às mudanças climáticas e da crise de oferta e preços de fertilizantes globalmente.

Ao desenvolver tecnologias para reduzir a utilização de fertilizantes e ao utilizar os nutrientes do solo de forma mais eficiente nos sistemas agrícolas e pecuários, a iniciativa também busca promover a redução das emissões de gases com efeito de estufa nos sistemas produtivos.

A colaboração envolve aproximadamente 63 pesquisadores e gestores de diversas instituições, organizados em quatro grupos de trabalho: gestão de precisão, big data e inteligência artificial; produtos biológicos, biologia do solo e saúde do solo; novos produtos incluindo fertilizantes organominerais; e utilização mais eficiente das fontes de nutrientes através de sistemas integrados floresta-agricultura-pecuária.



Brasil e EUA se unem para discutir sustentabilidade na produção agropecuária • Portal DBO
Portal Dbo
Notícias
14/09/2023


A Embrapa, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e a Universidade da Flórida (UF) reúnem-se, em Bagé (RS), na sede da Embrapa Pecuária Sul, no dia 18 de setembro, para discutir estratégias de pesquisa em parceria visando a sustentabilidade da agropecuária nos dois países.

O objetivo da iniciativa é promover a cooperação entre as instituições brasileiras e norte-americanas em torno de temas de interesse mútuo, envolvendo estudos relacionados à adaptação às mudanças climáticas e à mitigação das emissões de gases de efeito estufa (GEE) na pecuária, por meio do desenvolvimento de práticas agrícolas sustentáveis que sejam viáveis no Brasil e nos EUA.

Entre as estratégias que serão debatidas está a redução da dependência agrícola por fertilizantes, com foco tanto no desenvolvimento de produtos menos agressivos ao ambiente, como em processos de aumento do uso eficiente de nutrientes do solo usado na agropecuária.

Estudos neste sentido já estão sendo desenvolvidos através de colaboração entre a Embrapa, a Universidade da Flórida, o Serviço de Pesquisa do USDA e o Centro Internacional de Desenvolvimento de Fertilizantes (IFDC).

O projeto, intitulado Fertilize for Life (F4L), deve contar, inclusive, com financiamento do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) e outras agências americanas.

O evento contará com a presença de Michael Conlon, conselheiro para Agricultura dos EUA e representante do USDA no Brasil, e de Carolina Castro, especialista em Agricultura do USDA na Embaixada Americana, em Brasília, além de José Dubeux, professor em Forrageiras e Ciências de Pastagens da UF, que proferirá uma palestra sobre a iniciativa F4L, além de apresentar as principais pesquisas da UF envolvendo os tópicos de mudanças climáticas, mitigação e adaptação à emissão de gases de efeito estufa, com foco na pecuária, e sistemas de pastagens sustentáveis.

O Estado da Flórida e o Rio Grande do Sul possuem características semelhantes quanto aos sistemas pecuários, baseados em pastagens. Nesse sentido, esforços de pesquisa conjuntos podem gerar resultados comuns.

“Esse trabalho em conjunto visa, justamente, lançar o olhar sobre um dos principais problemas globais atualmente, que são as mudanças climáticas. Ao se trabalhar estratégias conjuntas para tornar mais eficiente e sustentável as atividades agropecuárias, estamos buscando tornar os sistemas produtivos mais resilientes, atacando, por exemplo, o problema da emissão dos gases de efeito estufa, mas também é importante pensar que estas estratégias podem diminuir a dependência da importação de fertilizantes no Brasil e EUA”, destacou Alexandre Varella, coordenador do Labex (Laboratório da Embrapa no Exterior) nos EUA e pesquisador da Embrapa.

Com o encontro, espera-se a formação de um plano de trabalho para colaboração em pesquisa (projetos conjuntos, intercâmbio de pesquisadores e estudantes, eventos internacionais conjuntos) entre Embrapa e Universidade da Flórida.

“A expectativa é de que, a partir dos debates e troca de informações científicas, possa haver um alinhamento para novas oportunidades de colaboração, entre as unidades da Embrapa e a UF, no tema de adaptação às mudanças climáticas em sistemas pecuários a base de pastagens que são dominantes tanto no sul do Brasil, em parte do Cerrado brasileiro quanto na Flórida”, completou Varella.

Conforme Marcos Borba, chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento, da Embrapa Pecuária Sul, a visita da comitiva norte-americana e o interesse de cooperação demonstram o alinhamento do trabalho desenvolvido na Embrapa em Bagé com questões atuais discutidas globalmente, relacionadas à sustentabilidade da pecuária.

“O que estamos estabelecendo como agenda de trabalho está bastante alinhado com o que outros países, e no caso países importantes para a pecuária, como é o caso dos EUA, estão também trabalhando. Outro aspecto a ser destacado é a oportunidade de interação e desenvolvimento de trabalhos conjuntos na busca de resultados complementares orientados à promoção da sustentabilidade dos sistemas de produção pecuários nos dois países. Para nós isso é extremamente relevante porque significa uma espécie de certificação da nossa programação de pesquisa, relacionada aos grandes desafios da pecuária no mundo contemporâneo e das oportunidades que temos de estabelecer cooperação com a Universidade da Flórida”, disse.

O público do evento é restrito a convidados e contará com a presença de pesquisadores, professores, cientistas, representantes das Unidades da Embrapa, das Universidades e de outros órgãos governamentais federais, estaduais e municipais, além de lideranças empresariais, jornalistas, órgãos de imprensa e outros grupos interessados no tema.

Currículo do palestrante – Jose Dubeux é professor de Forragens e Ciências de Pastagens na Universidade da Flórida. Reconhecido internacionalmente como autoridade em eficiência no uso de nutrientes em sistemas agrícolas, com ênfase na mitigação e adaptação às mudanças climáticas, emissões de metano da pecuária e sistemas integrados de produção agrícola-pecuária, Dubeux é membro da Sociedade Americana de Agronomia e da Sociedade de Ciência de Culturas da América e Presidente Associado do Departamento de Agronomia da UF.

Em sua carreira, Dubeux e sua equipe já assinaram 695 publicações, incluindo 286 artigos revisados por pares, e orientaram 36 estudantes de pós-graduação.

F4L – Coordenada pelo Labex EUA em parceria com diversas unidades da Embrapa, a UF, o USDA e o IFDC, a iniciativa F4L está em processo de implantação, e busca pesquisar a eficiência no uso de fertilizantes e nutrientes do solo em resposta às mudanças climáticas e da crise de oferta e preços de fertilizantes globalmente.

Ao desenvolver tecnologias para reduzir a utilização de fertilizantes e ao utilizar os nutrientes do solo de forma mais eficiente nos sistemas agrícolas e pecuários, a iniciativa também busca promover a redução das emissões de gases com efeito de estufa nos sistemas produtivos.

A colaboração envolve aproximadamente 63 pesquisadores e gestores de diversas instituições, organizados em quatro grupos de trabalho: gestão de precisão, big data e inteligência artificial; produtos biológicos, biologia do solo e saúde do solo; novos produtos incluindo fertilizantes organominerais; e utilização mais eficiente das fontes de nutrientes através de sistemas integrados floresta-agricultura-pecuária.



Assunto: Matérias com Citação da Embrapa